Arquivo da tag: DataGramaZero

Cada edição de DataGramaZero se propõe reunir textos, por afinidade temática, destinados às seções de artigos, comunicações e recensões visando divulgar e promover perspectivas críticas fundamentadas em áreas interdisciplinares da Ciência da Informação, tais como Informação e Sociedade, Informação e Políticas Públicas, Informação e Filosofia ou Informação e Comunicação. Está disponível no endereço: http://www.dgz.org.br/.

Fenomenologia versus Filosofia da Diferença: a Biblioterapia em questão

Resumo

A Biblioterapia pode ser compreendida como a expansão propiciada pelo ato de leitura que então porta uma função terapêutica. Como campo multidisciplinar diz respeito à psicologia, pedagogia, história, letras, medicina e ciência da informação. Uma pesquisa do termo “biblioterapia” na base de dados ABRAPCI apresentou vinte e dois trabalhos dedicados ao tema, artigos científicos em sua maioria cujos títulos evidenciam o aspecto terapêutico. Nosso objetivo é contrastar a abordagem fenomenológica da literatura brasileira em Biblioterapia com a filosofia da diferença praticada por Gilles Deleuze e Félix Guattari no tema das narrativas biblioterapêuticas. Porque? Para ampliar as bases teóricas presentes na Medicina Narrativa, na Biblioterapia, na História Oral e na área de Leitura desenvolvida pela Biblioteconomia e pela Ciência da Informação.

Palavras-chave: Biblioterapia; Fenomenologia; Filosofia da diferença; Gestão de leitura; Ciência da informação; Medicina narrativa.

Continue lendo Fenomenologia versus Filosofia da Diferença: a Biblioterapia em questão

O estado da arte da Filosofia da Informação na Ciência da Informação Brasileira

Resumo

O termo Filosofia da Informação bem como seu conceito analisado aqui, tem início com o filósofo Italiano Luciano Floridi, devido ao seu pioneirismo em estruturar e apresentar as teorias para o estudo filosófico da Informação. Esta pesquisa apresenta um panorama da Filosofia da Informação e suas relações teóricas com a Ciência da Informação brasileira. Visando assim, uma estruturação do panorama conceitual entre a Filosofia da Informação e Ciência da Informação. Para tal fim, foram coletados artigos nos periódicos científicos brasileiros de Ciência da Informação e nos Anais do Enancib, onde, por consequência, foram identificados quais artigos seriam analisados. A pesquisa identificou, analisou e apresentou, sob a ótica da Ciência da Informação, o estado da arte da Filosofia da Informação na literatura científica brasileira, por meio dos quinze problemas propostos por Fernando Ilharco, que teve influencia nas pesquisas realizadas por Luciano Floridi para criá-los. Desse modo, foram apontadas as principais aproximações conceituais entre esses campos de estudo.

Palavras-chave: Ciência da Informação; Estado da Arte; Fernando Ilharco; Filosofia da Informação; Literatura Científica; Luciano Floridi.

Continue lendo O estado da arte da Filosofia da Informação na Ciência da Informação Brasileira

A visualização da informação: uma afetividade para olhar a informação

Resumo

A informação vincula o homem ao seu destino e durante sua existência institui as referências para ele percorrer a sua aventura individual no espaço e no tempo. A estrutura desta informação é uma narrativa escrita em uma base física; inscrição e estrutura formam um conjunto de elementos de um todo ordenado e com princípio lógico. Aqui, trabalhamos com o pressuposto de que a estrutura de informação bem visualizada potencializa a percepção. A visualização da Informação tem como objetivo o estudo das formas de representação usadas para uma apreensão visual amigável de um conteúdo. Suas técnicas buscam adequar o espaço da estrutura para que a representação visória gerada ao olhar seja a que melhor mostre o conteúdo da mensagem. Reduz o “estresse cognitivo” do receptor – provocado pela tensão entre o que o olho vê e o que a mente processa na interiorização do conteúdo. Quando a informação é apresentada de maneira destinada ao olhar permite uma visualização conciliadora na decodificação do conteúdo. Na tranquilidade cognitiva o receptor tem na assimilação uma fruição visual.

Palavras-chaves: Visualização da informação: Percepção; Informação e conhecimento; Estresse cognitivo; Economia cognitiva: Eye-tracking.

Continue lendo A visualização da informação: uma afetividade para olhar a informação