Maurício de Souza lança a Máquina de Quadrinhos da Turma da Mônica na internet

A Máquina de Quadrinhos da Turma da Mônica é o 1º editor online de histórias em quadrinhos do Brasil.

No portal, fãs de todas as idades poderão criar suas próprias histórias, usando personagens, cenários, objetos e balões do universo da Turma da Mônica. As histórias serão lidas e votadas por todos os visitantes do portal e as melhores poderão até ser publicadas nas revistas da Turminha.

Para criar as histórias, os usuários poderão acessar gratuitamente e também comprar pacotes de imagens que terão duração de 30 dias. Durante esse período, o usuário poderá criar quantas histórias quiser utilizando o(s) pacote(s) adquirido(s). Todas as histórias aprovadas para publicação ficarão permanentemente expostas no portal. Para ler e votar nas histórias, não é preciso comprar nenhum pacote, nem mesmo ser cadastrado no site.

O usuário poderá também ser assinante do portal Máquina de Quadrinhos, e ter acesso a pacotes com imagens exclusivas e descontos de 50% nos demais pacotes do site. Continue lendo Maurício de Souza lança a Máquina de Quadrinhos da Turma da Mônica na internet

Livro de Graça na Praça 2009 será dia 13 de setembro na praça da Liberdade

Folder anunciativo do LGP 2009
Folder anunciativo do LGP 2009

Dia 13 de setembro, domingo, a partir das 8 horas, será a sétima edição do projeto Livro de Graça na Praça. Sucesso nos anos anteriores, o evento tem como objetivos: difundir o hábito de leitura, promover a inclusão cultural, integrar a literatura no contexto do Circuito Cultural da Praça da Liberdade, em Belo Horizonte, e ainda possibilitar a interação entre o autor e o leitor. Continue lendo Livro de Graça na Praça 2009 será dia 13 de setembro na praça da Liberdade

Walt Disney compra Marvel em operação de US$ 4 bilhões

Em 31 de agosto, foi amplamente divulgado a compra da Marvel pela Disney pela bagatela de 4 bilhões de dólares. A Marvel conta em seu catálogo personagens como os X-Men, Homem-Aranha, Incrível Hulk, Capitão América entre outros. Segundo os executivos da Marvel, “a Disney é o lugar perfeito para o enorme acervo de personagens da Marvel, considerando sua comprovada capacidade de expandir a criação de conteúdo e o licenciamento de operações”.

Como na internet nada passa despercebido e a resposta dos internautas é rápida, já está disponível em diversos sites e blogs vários mashups dos personagens da Marvel e da Disney.

Mashup é um trabalho derivado, modificado de um outro trabalho pré-existente e consagrado. Na internet, podemos encontrar mashups de videos no YouTube, por exemplo. Continue lendo Walt Disney compra Marvel em operação de US$ 4 bilhões

Preparem os corações, os foguetes e bandeiras, pois a Copa de Literatura Brasileira 2009 irá começar

Está para começar a edição 2009 da Copa Brasileira de Literatura Brasileira. Iniciativa idealizada por Lucas Murtinho e inspirada no Tounament of Books, criado em 2005 pela revista eletrônica americana The Morning News em parceria com a livraria Powell’s.

A Copa de Literatura Brasileira é realizada desde 2007, portanto está em sua 3ª edição. Dezesseis livros, escolhidos de forma bem pouco científica entre os romances brasileiros lançados em 2006, disputam o prêmio em quatro rodadas. A cada jogo, dois livros se enfrentam: o vencedor passa para a rodada seguinte, o perdedor está eliminado do campeonato. E cada jogo é decidido por um jurado, que escreve uma resenha para anunciar e justificar sua decisão. Na grande final, todos os jurados votam e elegem o campeão.

Murtinho explica que a Copa dificilmente escolherá o melhor romance brasileiro do ano. “O importante é que o campeonato seja divertido e o debate, inteligente”, afirma.

“Para isso, contamos com a ajuda do nosso estimado público. Não deixe de ler as resenhas e de comentar os resultados, mesmo que você não tenha lido os concorrentes (eu mesmo só li dois). E, se uma resenha despertar seu interesse, não confie no jurado nem nos comentaristas, compre os livros e decida por si mesmo. E divirta-se. Nós, aqui dos bastidores, já estamos nos divertindo”, explica em seu blog. Continue lendo Preparem os corações, os foguetes e bandeiras, pois a Copa de Literatura Brasileira 2009 irá começar

Google, a Shinra do mundo real?

Em uma notícia publicada no Portal UAI, onde o título informa a união de três grandes empresas (Microsoft, Yahoo! e Amazon) contra a biblioteca virtual do Google, que segundo elas, consolidará o maior monopólio do conhecimento da história da humanidade.

Segundo a notícia, o Google pretende disponibilizar milhões de obras em seu formato digital. Para isso o Google pretende firmar acordos com as editoras e autores.  As editoras e os autores levariam 70% dos lucros e o Google 30%.

Além disso, temos o  velho problema da privacidade.  Será que as pessoas poderão pesquisar e aprender o que quiserem sem ter seus passos arquivados e monitorados?

Deixando esse dilema de lado, voltarei ao título do meu artigo. Afinal de contas, o Google é a Shinra de Final Fantasy VII?

A Shinra se trata de uma empresa fictícia do universo fantástico de Final Fantasy VII. O game nos conta que ela atua no campo energético, extraindo Mako do planeta Terra e transformando-os em Materia. Porém, a medida que a história do game avança, nós descobrimos que esta empresa se torna muito poderosa. Ela diversifica sua área de atuação e inicia pesquisas nas áreas química, biológica, genética e militar.

No game, o Mako é um mineral que representa o poder, a magia e o conhecimento do mundo. Por isso, quando ele é transformado em Materia, os personagens aprendem magias e poderes diferentes.

No final das contas, em Final Fantasy VII a grande vilã é a Shinra inc., que explora o mineral Mako sem se preocupar com os danos ao planeta e utiliza seus benefícios para construir um exército de soldados alterados geneticamente.

Hoje, o Google é disparado o maior portal de buscas da internet. É um hábito da maioria das pessoas acessarem o site do Google assim que se conecta na internet para pesquisar algo. Muitas pessoas nem memorizam mais os endereços dos sites, apenas entram no Google e pesquisam-no. Portanto, vale dizer que, se você não encontra algo no Google, é como se aquilo não existisse. Esse é o poder de se controlar a informação.

É claro que o mundo da ficção não tem nada haver com nosso mundo. Mas, será que a informação e o conhecimento do mundo ficar na posse de uma única empresa privada não trará problemas em um futuro não muito distante? Continue lendo Google, a Shinra do mundo real?

Sobre a Biblioteca Digital Mundial

O Bibliotecário do Congresso dos EUA,  James H. Billington, propôs a criação da Biblioteca Digital Mundial em um discurso para a Comissão Nacional dos EUA para a UNESCO em junho de 2005. A idéia básica era criar uma coleção facilmente acessível pela Internet, abrangendo as riquezas culturais do mundo que relatariam as histórias e destacariam as conquistas de todos os países e culturas, promovendo, assim, a conscientização e a compreensão multiculturais. A UNESCO acolheu a idéia como uma contribuição para o cumprimento de seus objetivos estratégicos, que incluem a promoção de sociedades de conhecimento, criação de capacidades nos países em desenvolvimento, além da promoção da diversidade cultural na Internet. O Diretor-Geral da UNESCO, Koichiro Matsuura, designou a Diretoria de Comunicação e Informação da UNESCO, liderada pelo Dr. Abdul Waheed Khan, para trabalhar com a Biblioteca do Congresso no desenvolvimento do projeto.

Em dezembro de 2006, a UNESCO e a Biblioteca do Congresso convocaram uma Reunião de Peritos para discutirem o projeto. Os peritos reunidos, vindos de todas as partes do mundo, identificaram uma série de desafios que o projeto teria que superar para ser bem sucedido. Observaram que pouco conteúdo cultural estava sendo digitalizado em muitos países e que os países em desenvolvimento, particularmente, careciam da capacidade de digitalizar e exibir seus tesouros culturais. Muitas vezes, os web sites existentes possuíam funções de pesquisa e exibição precariamente desenvolvidas. O acesso multinlíngue não estava bem desenvolvido. Muitos web sites mantidos por instituições culturais eram difíceis de utilizar e, em muitos casos, falhavam em atrair usuários, especialmente os usuários jovens.

A Reunião de Peritos levou ao estabelecimento de grupos de trabalho para desenvolver diretrizes para o projeto, bem como a uma decisão da Biblioteca do Congresso, da UNESCO e de cinco instituições parceiras – a Bibliotheca de Alexandria, a Biblioteca Nacional do Brasil, a Biblioteca e os Arquivos Nacionais do Egito, a Biblioteca Nacional da Rússia e a Biblioteca Estadual da Rússia – no sentido de desenvolver e contribuir em conteúdo para um protótipo da Biblioteca Digital Mundial a ser apresentado na Conferência Geral da UNESCO em 2007. Ôs recursos para a concepção do protótipo foram solicitados através de um processo consultivo que envolveu a UNESCO, a Federação Internacional das Associações e Instituições Biblioteconômicas  (IFLA), além de indivíduos e instituições de mais de quarenta países.

A bem sucedida inauguração do protótipo foi seguida por uma decisão tomada por várias bibliotecas no intuito de desenvolver uma versão pública e livremente acessível da Biblioteca Digital Mundial, para lançamento na UNESCO em Abril de 2009. Mais de duas dezenas de instituições forneceram conteúdo para a versão de lançamento do site.

A versão pública do site apresenta ítens digitais de alta qualidade,  refletindo o patrimônio cultural de todos os países-membros da UNESCO. A Biblioteca Digital Mundial continuará a adicionar conteúdo ao site e irá convidar novos parceiros para o projeto, o maior número possível dentre os membros da UNESCO. Continue lendo Sobre a Biblioteca Digital Mundial

SiB-MG organiza lista de BOICOTE à empresas que ofereçam baixos salários.

O Sindicato dos Bibliotecários de Minas Gerais organizará uma LISTA DE BOICOTE às empresas que ofereçam baixos salários.

Confira a carta na íntegra.

Colegas Bibliotecários,

Venho propor-lhes um plano de ação contra empresas que oferecerem vagas para nossa profissão cujo salário é absurdamente aquém dos anos de estudo dedicados a formação de um bibliotecário.

Talvez esta proposta, a primeira vista, pareça absurda, utópica ou hilária para alguns. Tenho a consciência de que os anseios e necessidades de cada pessoa são particulares e somente aquela pessoa, em seu íntimo, sabe qual decisão é a melhor para sua vida e seus dependentes. Peço apenas que leiam, e se possível acreditem em um futuro melhor.

Este plano consiste, principalmente, no BOICOTE a estas falsas oportunidades, mas não se resumindo a apenas isto. Portanto, para que este plano funcione será necessária uma parcela considerável de adeptos. Antes de continuar, esclarecemos que consideramos uma oportunidade ridícula as empresas que ofereçam por 40 horas semanais salário inferior a R$1.000.

Como dito, esse plano de ação não se resume a apenas o BOICOTE, mas em outros pontos como: DENÚNCIA, DIVULGAÇÃO, COMUNICADOS E FISCALIZAÇÃO.

Ao se deparar com estes tipos de oportunidades ridículas, vocês poderão utilizar a lista de discussão do CRB-6 (se assim for autorizado pelo Conselho) como uma ferramenta para DENÚNICAS desse tipo. Outra ferramenta de DENÚNCIA que poderão utilizar é a seção de “contato” do website do SiB-MG.(www.sibmg.org.br).

As denúncias serão recolhidas dessas duas ferramentas, e a partir das informações obtidas será elaborada uma LISTA DE BOICOTE com a finalidade de DIVULGAÇÃO dessas vagas aos interessados. Esta lista ficará disponível para consulta no website do SiB-MG (www.sibmg-org.br). Essa lista será um norteador para que nós evitemos e recusemos este tipo de empresa.

A terceira etapa deste plano de ação será o envio de COMUNICADOS para as empresas que estão oferecendo estas vagas. Neste COMUNICADO, informaremos que a empresa foi incluída em nossa LISTA DE BOICOTE pelo motivo da baixa remuneração e ali permanecerá até esta pendência ser solucionada. Incluiremos outras informações como o valor do salário médio pago pelo mercado. Este comunicado será através de carta enviada em nome do SiB-MG.

A última parte depende de uma parceria com o CRB-6, uma vez que este é o responsável pela FISCALIZAÇÃO das instituições que mantém bibliotecas. Na maioria dos casos, quando uma vaga de emprego está em aberto as empresas não dispõem de bibliotecário no momento, ou seja, estão suscetíveis às penalidades impostas pelo CRB-6, multa, interdição, etc. Deste modo, o CRB-6 utilizaria da legislação para tornar a FISCALIZAÇÃO nessas empresas um processo enfadonho e burocrático, em outras palavras, aumentaria a rotina de visitas e diminuiria os prazos de regularização até o máximo permitido pela lei.

Portanto, pedimos a opinião da Presidenta Sônia sobre este plano de ação. Será viável a utilização da lista de discussão do CRB-6 como ferramenta de denúncia? A parceria quanto a agilização e endurecimento da FISCALIZAÇÃO é possível?

Devemos unir forças para que sejamos respeitados e valorizados como BIBLIOTECÁRIOS.

IBICT divulga o novo portal da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações

O novo portal da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), foi lançado na quarta-feira passada (2/7), com novos produtos e serviços. O serviço levará mais informação e conteúdo a profissionais da área, pesquisadores, estudantes e o público em geral que desejar conhecer inovações e conhecimentos gerados no âmbito das principais universidades brasileiras integradas à BDTD.

Segundo o Ibict, o novo sistema será totalmente orientado pelo Padrão Brasileiro de Metadados de Teses e Dissertações (MTD2-Br), cujas mudanças foram apresentadas e aprovadas na última reunião do Comitê Técnico-Consultivo da BDTD.

Alterações significativas no modelo e no sistema foram feitas com a incorporação dos dados de teses e dissertações à BDTD, por meio da coleta automática de metadados (harvesting) e em total compatibilidade, tanto em forma como em conteúdo, com o padrão MTD2-Br.

Além das funcionalidades tradicionais de acesso integrado aos conteúdos de teses e dissertações defendidas no Brasil e por brasileiros no exterior, o novo portal permite maior interação com os seus usuários mediante a disponibilização de novos produtos: estante digital, serviço de alerta, gerenciador de repositórios e indicadores de produção e de pesquisa.

Algumas instituições estarão, inicialmente, ausentes do novo portal, por estarem adaptando suas respectivas bibliotecas digitais de teses e dissertações ao padrão MTD2-Br.

O Ibict destaca que o portal original e o novo estarão simultaneamente ativos durante o processo de adequação, que deverá ser concluído até janeiro de 2009.

Fonte: Agência Fapesp

XV SNBU – Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias

De 09 de novembro de 2008 até 14 de novembro de 2008

Onde São Paulo, SP
Responsável Comitê Organizador
E-mail snbu2008@unicamp.br
Telefones (19) 3521 6502
(19) 3521 6505
Website www.sbu.unicamp.br/snbu2008/

O XV Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias (SNBU) será realizado, pela primeira vez, na cidade de São Paulo, em novembro de 2008 e terá como tema Empreendedorismo e Inovação: desafios da biblioteca universitária. A edição marcará a comemoração dos 30 anos do evento, iniciado em 1978 e sucedido por iniciativas bienais em diferentes estados brasileiros.

O êxito do evento pode ser comprovado pela longevidade e números cada vez mais expressivos de participantes, que evidenciam a sua relevância dentro do cenário de gestão da informação em ambientes acadêmicos.

O SNBU 2008 conta com a organização do Consórcio CRUESP Bibliotecas, formado pelos Sistemas de Bibliotecas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho” (UNESP).

Espera-se com esta edição do evento a manutenção de um espaço de exposição, debate e reflexão sobre as tendências e desafios na área de gestão da biblioteca universitária, permitindo a exploração de novos conceitos, assim como o compartilhamento de experiências entre os profissionais de biblioteconomia, ciência da informação e áreas correlatas.

Objetivo

· Promover a reflexão e debate sobre empreendedorismo e inovação, tendo em vista a adequação das bibliotecas universitárias às demandas internas e externas de acesso a informação científica e ao ensino de qualidade.

Objetivos específicos

Biblioteconomia + Bibliotecas + Bibliotecários + Livros + Etc